Propensão a acidentes: como prevenir contratempos na doca

Por Steve Greco. Originalmente publicado na Professional Door Dealer Magazine. 

Apesar de parecer inofensiva, a doca de carga é um dos locais com maior número de acidentes em armazéns. 
 
Os acidentes em docas de carga podem gerar despesas enormes. Além dos custos diretos com despesas médicas, indenização salarial e reivindicações de tarifas administrativas, os acidentes podem envolver muitos custos indiretos. Esses tipos de custo podem incluir danos ao equipamento, perda de produtividade e qualidade, custos de mão de obra substituta, tempo de gerência e supervisão, perda de remessas e prejuízos aos relacionamentos com o cliente e à imagem pública. 
 
Isso sem falar na despesa proveniente de acidentes incapacitantes ou fatais. Um único acidente desse tipo poderia custar ao empregador mais de $ 1 milhão em indenização a empregados, danos a produtos e equipamentos, perda de produtividade, aumento nos prêmios de seguro e responsabilidade. Presumindo uma margem de lucro de 10%, isso exigiria $ 10 milhões em vendas adicionais para compensar o custo de tal acidente.
 
Riscos da doca

Estima-se que haja 100 oportunidades diárias, por turno, em uma única doca, de o acidente mais grave ocorrer. Com esse risco multiplicado pelo seu número de dias de trabalho por ano, a possibilidade de ocorrência aumenta rapidamente.
 
Alguns dos acidentes mais comuns são causados por deslocamento do reboque, partidas de caminhão não-programadas e tombamento do carro. 
 
Neste artigo, analisaremos os três riscos mais comuns e as maneiras de reduzi-los:
 
  • deslocamento/separação do reboque e partida prematura da doca de carga;
  • recursos de segurança da niveladora de doca; e
  • dirigir para dentro de painéis de porta elevados e para fora da borda de docas vazias.

Retenções de reboque

Há basicamente três motivos para reter reboques:
 
  • Impedir que os condutores se afastem do local, deixando a empilhadeira dentro do reboque – ou pior: a meio caminho dentro do reboque.
  • Impedir deslocamentos de reboque que resultem em folgas perigosas entre a doca e o reboque.
  • A Occupational Safety and Health Administration (OSHA) exige. 
Embora haja vários tipos de retenções, elas nem sempre são eficientes, devido, em parte, por não serem usadas ou por erro humano. São exemplos de retenções comuns:

Calços
 
Os blocos colocados na frente dos pneus de um caminhão podem ser cruciais na prevenção de acidentes. Mas muitos especialistas afirmam que não são o bastante.
 
Dependendo das condições da superfície e do tipo de calço usado, às vezes eles podem escapar. Além disso, o uso de calços exige que as pessoas caminhem atrás dos reboques para colocar e remover os calços. Essa atividade, por si só, carrega consigo seus próprios riscos. 
 
Um problema maior ainda envolvendo calços de roda é a dificuldade em fazer com que sejam sempre usados. Simplesmente comprar um jogo de calços para cada doca e colocar algumas placas lembrando os condutores de usá-los não é eficaz. A experiência mostra que isso leva a um uso mínimo ou até inexistente dos calços. 
 
Retenções de barra ICC
 
Dispositivos que se engatam na proteção contra impacto nos carros são populares, representando uma alternativa mais eficaz que os calços de roda. Esses dispositivos podem ser de operação mecânica ou hidráulica, e podem variar significativamente, de um fabricante para o outro, em termos de design e funcionalidade. As melhores unidades funcionam com barras ICC danificadas ou tortas, integrando-se com sistemas de comunicação de luz do condutor controlados remotamente. 
 
Outros tipos de retenções
 
Também existem retenções que se engatam automaticamente às rodas traseiras dos reboques. Elas funcionam em reboques que não possuem sistemas de barra ICC, como reboques baixos e reboques com comporta levadiça. Porém, custam mais que retenções de barra ICC e são mais suscetíveis a problemas de confiabilidade e corrosão causada por gelo, sal e resíduos rodoviários.
 
Se a maioria de seus caminhões possuir sistemas em conformidade com ICC, provavelmente faria sentido adotar uma retenção de barra ICC e ter calços disponíveis para utilizações ocasionais. De modo inverso, se a maioria não estiver em conformidade com ICC, o uso de sistemas de retenção de roda pode ser mais justificado.
 
Niveladoras de doca
 
 Diferenças de largura e altura do reboque, níveis do chão e a recente popularidade de suspensões a ar está tornando as niveladoras de doca mais cruciais para operação segura da doca. As niveladoras de doca podem ser elevadas ou baixadas até o leito do reboque de serviço, de modo que as empilhadeiras possam entrar e sair do reboque com segurança. 
 
As niveladoras de doca são oferecidas em modelos mecânicos e hidráulicos. As mais comuns são a do estilo poço, seguidas por borda-de-doca e armazenamento vertical para necessidades específicas de aplicação. 
 
Os modelos mecânicos exigem que o operador puxe uma corrente e em seguida caminhe pela niveladora para engatá-la. Normalmente possuem um valor de aquisição menor, mas um custo de manutenção maior.
 
Os modelos hidráulicos oferecem funcionalidade automática por botões geralmente instalados na parede ao lado da porta da doca. Também oferecem transições mais suaves ao entrar em veículos com suspensões macias, como suspensões a ar. 
 
Niveladoras mecânicas usam um mecanismo de segurança para prevenir que a doca baixe até o chão se o ponto de apoio da virola desengatar do piso do reboque. Niveladoras hidráulicas possuem um fusível de velocidade hidráulico que funciona como mecanismo de segurança, permitindo a funcionalidade integral da niveladora conforme a mudança na altura do reboque.
 
Barreiras de porta e doca
 
Barreiras independentes e barreiras integradas nas niveladoras de doca evitam a queda frontal – ou, o que é mais provável, em marcha ré – para fora da doca quando a doca estiver vazia e abalroamentos na porta da doca quando fechada.
 
Embora as niveladoras de doca que usem a virola como barreira de segurança forneçam alguma proteção, impactos regulares à virola pode, especialmente ao longo do tempo, deformar ou danificá-la, levando à inutilização da doca. 
 
Uma solução mais eficiente e conveniente – e, portanto, com maior probabilidade de ser usada – é utilizar as barreiras integradas à plataforma da niveladora de doca. Quando elevada, a proteção de doca resguarda as empilhadeiras contra os perigos da zona de carga e descarga quando a porta elevada está aberta e o compartimento de carga está vazio. Ao contrário de outros dispositivos, ela atua ainda como um batente de palete para proteger os painéis e trilhos da porta contra danos por impactos regulares quando a porta elevada é fechada.
 
Busque uma barreira que se integre a todo o sistema operacional da doca da empresa, que tenha peso suficiente para parar uma empilhadeira carregada e que fique alinhada com o deque quando a doca estiver em uso. Barreiras posicionadas atrás da porta proporcionam uma margem extra de segurança contra os perigos da zona de carga e descarga.
 
Integração do sistema
 
O uso de equipamentos automáticos de doca com controles eletrônicos permite integrar niveladoras de doca, barreiras e retenções de reboque com luzes de sinalização que comunicam aos funcionários e operadores de caminhão quando é seguro carregar e quando é seguro mover o reboque. Fazer com que o sistema seja facilmente controlado a partir de um painel de controle integrado também aumenta a probabilidade de que todos os dispositivos de segurança da doca sejam usados.
 
Dispositivos como luzes vermelhas/verdes sinalizarão aos operadores da empilhadeira quando o mecanismo de retenção e a niveladora de doca estiverem adequadamente engatados e for seguro entrar no reboque, notificando simultaneamente o condutor de que não é seguro afastar-se da doca. Da mesma forma, informará os funcionários da doca quando não for seguro entrar no reboque e quando for seguro para o condutor se afastar.
 
É importante inspecionar e realizar a manutenção regularmente de todo o equipamento da doca. Além do treinamento inicial dos funcionários da doca, também é necessário revisar os procedimentos de segurança com eles regularmente.
 
A pressão para cumprir prazos, existente no processamento de remessas, pode levar os funcionários a negligenciar aspectos importantes de segurança, no intuito de transferir rapidamente as cargas. Outra observação que merece atenção: o condutor do trator/reboque provavelmente será funcionário de outra empresa e, como tal, terá uma abordagem muito diferente em relação à segurança. Com isso em mente, muitas empresas consideram inteligente fornecer uma sala de espera afastada da doca para os condutores. 
 
Com o equipamento certo e uma ênfase contínua em segurança, é inteiramente factível conseguir prevenir as três principais causas de acidentes em armazéns:
 
  • Quedas de locais altos, incluindo docas.
  • Tombamentos de empilhadeira.
  • Partidas de caminhão não-programadas.
Ao fazer isso, você pode ajudar seus clientes a praticar condutas de segurança e evitar acidentes de alto custo.