Acesso às docas

As informações a seguir consistem em diretrizes para integrar o funcionamento de veículos na área de docas de carga, a fim de garantir que o planejamento, a segurança e o serviço sejam adequados à área de docas de carga. Aplique os padrões adequados do projeto de engenharia de trânsito de sua cidade, seguindo os códigos locais.

Portões da propriedade

A largura mínima sugerida para os portões que levam às estradas de aproximação é de 16’ a 20’ (4,9 m a 6,1 m) para tráfego em mão única, 30’ a 32’ (8,7 m a 9,3 m) para tráfego de mão dupla e 38’ (10,7 m) em casos de inclusão de calçada para pedestres.

APROXIMAÇÃO POR ESTRADA

Os caminhões devem ter permissão para entrar de frente, e não de ré. Aproximações diretas, em "Y" ou em ângulo devem ser consideradas conforme as estimativas de volume de tráfego.

Em caso de aproximação com tráfego misto de carros e pedestres, a separação adequada e precauções de segurança devem ser planejadas.

APROXIMAÇÃO PELO PÁTIO

Estradas de serviço para tráfego de caminhões em uma mão devem ter pelo menos 14' (4 m) de largura; para mão dupla, a largura não deve ser inferior a 26' (7,8 m). Para acomodar pedestres, deve haver uma pista adicional de 6' (1,6 m) separada da estrada por uma barreira física.

Se houver necessidade de uma interseção em ângulo reto, um raio de 50’ (15,2 m) para veículos comerciais deve ser projetado.

O projeto das estradas de aproximação deve sempre permitir a circulação de tráfego no sentido anti-horário, pois é mais fácil para os condutores fazerem conversões à esquerda e darem ré nos reboques para dentro de uma doca a partir dessa posição.

ÁREA DE MANOBRAS

A configuração da área necessária para manobrar e posicionar reboques no lugar é chamada de área de manobras. O planejamento da área de manobras requer a compreensão acerca da circulação dos reboques e do espaço necessário para realizarem essas circulações.

O fluxo de tráfego e o comprimento de veículos são fatores essenciais a considerar (ou seja, um caminhão com um comprimento geral de 65’ requer uma área de manobras mínima de 135').

PISTA DE DESEMBARQUE

Se a área vier a ser revestida com asfalto, a pista de desembarque deve ser feita com concreto. A temperaturas elevadas, a pista de desembarque impedirá que a perna de sustentação do reboque afunde no asfalto quando em uso. A posição típica da perna de sustentação de um semirreboque é 120" (3.048 m) atrás da ponta do reboque. Deve-se evitar uma área de manobras coberta por cascalho, pois ela cria condições irregulares e inseguras.

Área de espera

A menos que as docas sejam projetadas para absorver picos de carga, deve-se providenciar uma área de espera para os caminhões. Ele deve ser posicionada de modo que os caminhões na área não interfiram na manobra dos caminhões que chegam e saem da doca.

Superfícies de pavimentação

Essas superfícies devem ser especificadas de modo a serem dispostas de modo uniforme e serem estruturalmente sólidas para suportar cargas de roda pesadas. Todas as superfícies da estrada devem ser levemente abauladas e adequadamente equipadas com saídas de drenagem.